Danika

Gangrel

Description:
Bio:

Meu nome é Danika.
Eu sou uma das Sacerdotizas do Templo de Kupala, ou ao menos costumava ser. Mas vou me concentrar na história de como era minha vida antes da noite.
Como uma das grandes Sacerdotizas do templo, sempre dediquei meu tempo à natureza e aos animais da floresta perto do Templo. E a floresta sempre foi meu lar, uma expansão do templo. Nela sempre encontrava novas ervas e plantas para rituais e como sempre tive muito contato, os animais não me temiam, por isso muitas vezes cuidei de alguns que se machucavam.
Eu deveria dormir no templo como as demais Sacerdotizas, mas a noite me recolhia para a floresta, e repousava em uma cabana próxima. Ficar com todas aquelas pessoas não me era satisfatório, ao contrário, cada vez mais o templo estava se enchendo e eu preferia me isolar a ficar com todas aquelas pessoas.
Kupala já havia me assinalado de que meu destino teria uma mudança repentina, porém foi só o que consegui descobrir.
Em uma das noites que ia para minha cabana, sentia que estava sendo seguida, porém não enxergava nada e ninguém na floresta. Continuei meu caminho e ouvi como se um bicho grande corresse. Por um instante me sobressaltei, logo após pensei em um dos animais da noite. Continuei meu caminho e cheguei a minha cabana.
Algo estava diferente. Sentia que algo não estava certo, porém não conseguia ver nada de errado. Entrei e acendi o fogo na pequena lareira que tinha improvisada. Enquanto fazia algo para comer, vi uma sombra. “Um vislumbre” pensei. Sentei-me a frente da lareira e comi. Após a refeição, pedi a Kupala sua proteção, como todas as noites antes de deitar-me, mas esta noite Kupala não estava lá.
Em meio a noite sinto um bafo gélido em meu pescoço e escuto as seguintes palavras “Observei você”. A voz era masculina, meio gutural. Gelei. “O medo desperta o pior em mim.” Sentia dentes roçando em meu pescoço enquanto falava estas palavras. Estava totalmente paralizada. Ele me virou para si. O vi. Tinha traços animalescos. Orelhas parecidas com de lobo, olhos amarelos, era forte. Seus dedos compridos e unhas longas, como garras. Não conseguia tirar os olhos dele. Ao mesmo tempo que estava apavorada, estava maravilhada.
-Minha criança, dê seu último suspiro, pois não mais respirarás o ar deste mundo.
E assim respirei fundo. E senti seus caninos em meu pescoço. Fui enfraquecendo até não sentir mais nada. Ao acordar, me sentia diferente. A necessidade de respirar já não existia mais. Já não sentia meu coração bater. E aos poucos descubro o que é ser o que sou com meu senhor.

Danika

Idade das Trevas Valaquia thwmetal thwmetal